Poesia

Meu último poema

Quando não achava que o tempo poderia ficar pior, Ele se fecha! Gotículas de dor e saudade deslizaram sobre a minha pele E, a cada deslize, lembranças pairaram Desejava que fossem realidade presente e não lembranças. Fios longos de otimismo vibravam ao meu falar Nunca perdendo o ritmo, nem o Leia mais…

Por Tales, atrás
Poesia

A batalha da vida

Não é fácil, nada fácil. Por que nunca nos foi dito? Se soubéssemos o quão duro seria, sucumbirmos numa jornada árdua? Prazer, emoção, (a)r(dor)… Perigosa a um fio do limite da razão e emoção! Um teste perigoso que poucos estão preparados. Um teste em que tudo que depende ou de Leia mais…

Por Tales, atrás
Poesia

Novo dia, novo começo

Às vezes penso que tudo se perdeu, Que minha luta cessou, Que meu dia não valeu, Que o mundo foi injusto comigo. De repente, os pensamentos mudam Percebo o quanto sou forte, O quanto consigo lutar e ir além… Além de onde não pensei que chegaria! O meu desafio se Leia mais…

Por Tales, atrás
Poesia

Data marcada para o Amor?

Não! O Amor não tem data definida. Não se espera um dia ou hora para amar. O Amor é espontâneo, É lúdico, real, que absorve. O Amor não é um protocolo, Aonde se regulariza os atos. O Amor não tem regras Para a alma o contemplar. Ah… o Amor… Não Leia mais…

Por Tales, atrás
Poesia

O (des)gosto do meu erro

Em linha reta segui… Com o meu barco, à procura de sensações. Um caminho linear, ondas baixas, apenas marolas a embebedar-me pela monotonia. As rotas que estou a traçar são amenas, posso até observar meu lugar de ancoragem. Há, percebo, imensidão de possibilidades, Minha rota, a princípio, tão calma! Poderá Leia mais…

Por Tales, atrás
Poesia

Minhas lutas

Choro pelas lutas sofridas Que enchem de lágrimas O bordo do meu amor. Choro pelas batalhas vividas Extremas de ódio Do que eu não sou. (Tales Mendonça)

Por Tales, atrás
Poesia

Ser quem sou

Da honestidade e do caráter do outro, Podemos comprovar determinação de um momento. O puro Ser, Não se corrompe pelo acaso, Não se corrompe pelo momento importuno, Não se vende ou se deixa levar pelo qualquer. Não! Quem sabe quem é, Não se contamina, Não se troca pelo prazer momentâneo, Leia mais…

Por Tales, atrás
Poesia

Tales e Shakespeare

…E em conjunto com outro ser pensante, Vou tecendo duas teias, Em um objetivo nada conflitante. E apesar da vida ser assim… Só “depois de algum tempo você percebe a diferença”. Que em nossos olhos amargos Não podemos enxergar, “a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma”. Leia mais…

Por Tales, atrás
Poesia

Medo

Um estado de desconforto Um amparo ao receio Um distante a se realizar Um avanço de marcha ré Um alvoroço repugnante Um adentrar da não-alma Uma perda da conquista Um desvio em se chegar Uma pedra acomodada Uma certeza incerta Um porquê de tantos por quês Um menino perante ao Leia mais…

Por Tales, atrás
Poesia

Um perfeito Poema!

“Era um país Muito engraçado, Faltava escola, Sobrava estádio! Governo vinha Com enrolação, Quem discordava “Ó o camburão!”… Cada pessoa Tinha que ser burra, Pois do contrário Levava surra!! Ninguém podia Protestar não, Porque a PM Sentava a mão!! Um belo dia Tudo mudou, Esse país Enfim acordou!! O povo Leia mais…

Por Tales, atrás
Poesia

Padrão

Sabemos tão pouco do que possa acontecer Que acabamos por envolver todos a nossa volta. Talvez com o propósito apenas de nos agradar, Fantasiar uma linda história de amor com um perfeito final Com personagens lúcidos Perfeitos, Tanto quanto podemos imaginar. Invocamo-nos, Partimos e nos iludimos toda uma vida para Leia mais…

Por Tales, atrás
Poesia

O ator

Por dificuldades sempre andei A trilhar caminhos ilusórios Longe de mim, do meu eu Fugi Reneguei Sofri Um GRITO! De tensão aprisiona-me Minha liberdade se foi Adentrou-me o medo, o repúdio… Um palco se abriu Vejo fama um brilho sem ardor, opaco (como cortinas que permitem o vislumbre de silhuetas) Leia mais…

Por Tales, atrás
Poesia

Que filme te marcou?

Um filme, porventura, te marcou? Um filme marcou-me? Perguntas, vazio, complexidades Pensamento, infinito, possibilidades Desconcerto, sem saída ?, nada ? Marcou-me, por acaso, um filme? Se fizeres essa pergunta, Direi que é vaga e estéril… Insatisfeita, conjugada de preconceitos E os demais? Os filmes outros? Perderam-se na imensidão dos sonhos Leia mais…

Por Tales, atrás
Poesia

Escrever…

Com uma simples conversa podendo eu me expressar já me sinto mais inspirado só por ter alguém que possa me escutar Posso até escrever um texto desses simples que gosto de esboçar passando um simples verbo para um substantivo do estar O interessante de escrever o que sentimos é que Leia mais…

Por Tales, atrás